30/03/2018

Seriados para Quem Ama Arquitetura

A dica de hoje é... netflix! Quem gosta de decoração e arquitetura não pode perder estas duas séries:

- As Casas Mais Extraordinárias do Mundo
A série é produzida pela BBC e mostra as casas mais extraordinárias de vários cantos do mundo. Os episódios estão divididos geograficamente em: floresta, litoral e subterrâneo. E a fotografia é linda. Mais detalhes clique aqui.
A casa da próxima foto é incrível. Acho que tudo bem morar em um aquário quando não existe vizinhos :P



- Grand Design
Trata-se de um reality show comandado pelo designer Kevin McCloud que conta a história de pessoas que desenvolveram as suas próprias casas e, em cada episódio, o apresentador inglês acompanha o passo a passo da construção, presta consultoria aos participantes e auxilia no bom andamento do projeto. Ótimo para quem gosta de uma faça você mesmo, né?



Essa é a dica netflix para esse feriado. Feliz Páscoa!

29/03/2018

Dias de Abandono


Há dois dias meu pai me mostrou uma notícia no jornal. Um cachorro abandonado que havia "roubado" um livro no sul do país. Não dei bola, mas achei engraçada. Hoje, eu li a notícia e descobri que o cachorro de rua reincidiu na tentativa de furto e fiquei pasma quando descobri o título do livro, a obra escolhida foi  "Dias de Abandono", da escritora italiana Elena Ferrante, cuja verdadeira identidade é mantida em segredo. Detalhe: o livro que narra a história de Olga, uma mulher que depois de 15 anos de casamento é abandonada pelo marido com dois filhos, um cachorro e nenhum emprego, mas ela se recusa a assumir o papel de “pobre mulher abandonada” e apesar do turbilhão de obsessões, angústias e ímpetos violentos, nada afasta Olga do fato de que as derrotas precisam ser assumidas para que a vida possa enfim seguir adiante.
Resumindo, um cachorro furta um livro e vira notícia.
No dia seguinte, ele tenta furtar a mesma obra, assim, o livro também virou notícia.
Depois dizem que cachorro não fala!
Moral da história: Nunca subestime um cachorro que lê!
Não ouviu nada sobre essa notícia? Sobre Elena Ferrante? Pergunte ao google e você não vai se arrepender :)

01/03/2018

Luminosos

Sei lá vocês, mas eu vejo cores. Em todos os lugares eu consigo achar uma luz, um colorido. E nada retrata mais a minha paixão por cores do que grafites e luminosos. Eu adoroOOOO :) 
Então, obviamente, na minha próxima casa eu terei luminosos e grafites. Acho justo, mas uma coisa de cada vez e esse post é só para compartilhar inspirações de como uma casa com luminosos é bem mais legal do que uma casa sem brilho. 

Via @storehousedecor







Concordam?
Quer fazer ? Essa loja tem luminosos prontos e personalizados e um monte de coisa moderninha: @storehousedecor

10/02/2018

Quem nunca?


Como você definiria alma? 
Eu queria ser professora primária agora e perguntar para algumas crianças o que significa alma pra elas e depois ficar rindo com todas aquelas respostas espontâneas (aliás, eu adoro quando as pessoas publicam respostas de crianças para questões de adultos). É muito engraçado ver como adulto complica e criança simplifica. Imagino uma criança descrevendo um adulto: uma pessoa que cresceu e passou a complicar tudo. Sim, conforme vamos crescendo, vamos complicando tudo!
E qual o sentido da alma nesse post?
Na verdade, esse é um post sem sentido. Estava lendo. Eu tenho mania de ler uns 5 livros ao mesmo tempo, mas tem um que eu não devoro, eu leio bem devagar porque a minha vontade é que ele nunca acabe (Ostra Feliz não Faz pérola, eu falei sobre ele uns 2 posts atrás). E como o próprio autor do livro diz, livro bom é pra ser digerido lentamente (Schopenhauer também dizia que a leitura deve ser bovina e levar à ruminação), esse livro é bem assim. É um livro escrito com sangue.
E um dia, o Rubem Alves falava sobre alma. Sobre encontro de almas. Ele escreveu algo mais ou menos assim: quando nos identificamos com o que uma pessoa escreve ou fala e ficamos alegres com isso é porque nossa alma sorriu pra alma dela. Ai eu fiquei pensando se todos sentem isso e se concordam que não somos só corpo, mas também uma alma e que a base da alma é essa sensibilidade que todo mundo tem mas tenta o tempo todo esconder.
Quando a gente não assume a alma que tem, a gente fica triste.
Pra mim, a alma é tipo um chip. Um chip que implantaram na nossa cabeça ou talvez no coração antes da gente nascer e nele contém todas as sensações e coisas que gostamos e queremos para as nossas vidas. Enquanto somos pequenos, tudo é mais fácil porque fazemos tudo que está armazenado no chip. Conforme vamos crescendo, vamos desconfiando que o nosso chip tá errado e passamos a deixar as ideias do chip de lado, essa é minha explicação para a angústia, mas quando seguimos o caminho definido no chip, tudo fica bom e essa é minha explicação pra alegria.
E quando eu leio uns textos que me emocionam, é como o Rubem Alves diz, significa que encontrei uma alma parecida com a minha, me identifiquei com ela e fiquei feliz. Ai me sinto menos E.T. ou que existem outros alienígenas como eu e volto a pensar que meu chip não tá tão mal programado assim...
Todo esse papo é pra compartilhar um texto que o Rubem escreveu e que estava dentro do meu chip e talvez esteja dentro do seu...


"CRIANÇAS NA NOITE

Dez e meia da noite. Cruzamento da rua Benjamin Constant com a avenida Júlio de Mesquita. Duas crianças, um menino e uma menina. Entre sete e oito anos de idade. vendiam balas de goma com olhos tristes. Minha vontade era levá-los para a minha casa, servi-lhes uma sopa, tomar conta deles. Não fiz nada disso. O sinal ficou verde e acelerei o carro. Mas as duas crianças dormiram comigo, acordaram comigo e ainda estão comigo." 


Quem nunca sentiu isso?

Infelizmente, o Rubem Alves já morreu e eu não posso mandar um email e dizer que ele (a alma dele) era do mesmo planeta que eu...

04/02/2018

diy: Cabideiro



Domingo com DIY (faça você mesmo) pra vocês! A dica de hoje é esse cabideiro ou mancebo, como alguns dizem. Vamos lá...

Materiais:

- Tinta spray
- Tinta esmalte para madeira
- Pincel
- 4 cabos de vassoura (você pode usar varão para cortina)
- Um pedaço de corda
- Paciência


É pintar, esperar secar, amarrar com a cordinha e voilá! 
Imagens via 2.bp.blogspot.com

21/01/2018

Aloha

Aloha! A palavra aloha é usada pelos havaianos pra dizer oi e tchau, mas aloha significa muito mais, é um estado de espírito. É uma atitude de compartilhar boas energias. Ao falar Aloha sorria. É assim que eles fazem!

Lanikai Beach - Eleita uma das praias mais lindas do mundo!
Faz muito tempo que eu fiz essa viagem e faz muito tempo que eu tentava encontrar um tempo para falar sobre ela aqui! Why Hawaii??? Eu fui pra Califórnia um ano antes e me apaixonei. Lá eu descobri que a areia das praias da Califórnia foram levadas para Oahu, então se aquela energia nas praias californianas era incrível, achei justo me certificar se o Havaí era mesmo esse Paraíso todo! 
O Havaí tem muitas ilhas, a mais famosas é Oahu, cuja capital é Honolulu, onde eu fiquei. Ela tem mais infraestrutura e grandes hotéis, não espere um clima totalmente havaiano por lá, pois o lugar é totalmente turístico. Diferente de outras ilhas, como Maui e Big Island, cada uma delas tem paisagens e praias peculiares. Mesmo em Oahu cada praia é uma vibe. Não tem como não encontrar a sua.
Eu sempre achei o havaí inacessível e estava aguardando um milagre para um dia conhecê-lo e o milagre aconteceu, uma promoção de passagens (no site passagens imperdíveis) por 2.000 ida e volta, as datas eram fixas e coincidiam com a minhas férias, destino? Sei lá. Comprei. Eu tinha as passagens, dias de férias e seis meses até a viagem para organizar o resto e economizar. Decidi estudar inglês nas duas semanas que fiquei por lá e não pensei em mais nada, fechei a escola e uma residência estudantil ainda aqui no Brasil, o resto resolvi e organizei quando eu cheguei lá. Na época, meu irmão estudava no USA e eu o convidei, mas ele não animou por conta da correria do mestrado. Fui sozinha e como toda viagem que faço sozinha, não fiquei nenhum dia sozinha. Conheci muita gente. Fiz amigos especiais e fiquei pobre porque tudo lá é muito caro rs! Primeira dica do Havaí: não precisa ser rico, basta ser uma pessoa organizada. Segunda dica: aprenda a andar de moto antes de ir. Sim, eu não tinha carteira de moto e quando via as pessoas andando sem capacete para todos os cantos, eu me perguntava o tempo todo, cadê minha habilitação para moto?  Você pode alugar uma (use capacete! Não faça como eles) e contornar a ilha. Se você tem pouco tempo, eu aconselho. Se você quiser fazer regime, também aconselho, a comida é super cara, você come pouco e volta magro, melhor que spa :P
República em Kaimuki
Na minha residência, eu tinha cozinha e preparava minha comida. Outra coisa muito importante, façam o cartão do supermercado. Pra isso você precisa ter um número de telefone americano. Eu tinha um chip e consegui fazer. Os preços caem pela metade. Todos os mercados e farmácias têm a opção do cartão de desconto. Só não voltei com 10kg a mais porque eu andava de bicicleta e a pé pra caramba. Eu e todos os alunos. Cada um alugava um bike para ir pra aula, pra balada, pra praia, tudo era bike ou ônibus. 

Eu não aluguei a bike, eles me emprestavam e pra aula eu ia de ônibus. Fiquei em um bairro chamado Kaimuki, um lugar ótimo, mas um pouquinho longe do centro, mas dava pra ir a pé até waikiki Beach (A praia mais turística). 
Kaimuki
Quem quer curtir a praia e ficar perto de tudo, alugue algo perto da praia em Waikiki. Pra curtir as outras praias e conhecer a ilha toda, aluguem moto ou carro. Alugamos algumas vezes e fomos para North Shore e outras praias imperdíveis. Eu selecionei as fotos das trilhas e praias que eu considero imperdíveis e deixei na legenda de cada foto o nome, Anotem! 

Nanukuli Beach Park


Qual a melhor épóca? A que você tiver férias e dinheiro :) Sim, porque o tempo lá é bom o ano inteiro. Se você gosta de surfar, é melhor ir entre outubro e novembro, quando acontecem os campeonatos. Eu fui em Julho, a cidade estava lotada de japoneses aproveitando as férias ou casando em alguma praia. Se você mora no Brasil, fuja do frio como eu. Eu sigo o sol e quando ele se esconde aqui, eu corro atrás dele em outro hemisfério ou outro lugar bem quentinho por aqui mesmo. Uma coisa interessante por lá são as chuvas, garoas, todo dia tem garoa, No primeiro dia eu comprei um guarda-chuva e todo mundo olhava pra mim com cara de espanto. Não comprem guarda-chuva. Lá todo mundo curte a garoa. 
Outra dica importante, não fique pouco. Você pode pegar quase 8 horas de fuso e o jetlag, eu garanto, é de matar. Eu demorei 2 dias para me adaptar. Eu cheguei em uma sexta e só sai do estado zumbi na segunda-feira. O ideal para curtir o Havaí seria a vida toda, mas na falta de tempo, fique pelo menos um mês e conheça as outras ilhas. Eu fiquei apenas em Oahu, pois só peguei 15 dias de férias. Planeje-se para 30 dias e mais uma vez eu enfatizo, conheça pelo menos as principais ilhas (Maui e Big Island)!!!! Partindo de Honolulu, tem voos diários e você pode alugar alguma casa pelo airbnb e ser feliz. Em duas semanas seria corrido mas você também conseguiria, como eu tinha aula, o meu tempo ficou escasso.
Meu dia era assim, eu acordava cedo, encarava o nascer do sol, tomava café da manhã olhando pro mar, pegava o ônibus e corria estudar. Não gostei muito da minha escola, achei fraquinha, mas os alunos eram legais e a escola é uma das melhores por lá, o nome é Global Village. Na escola só tinha suiços, da parte alemã, italiana e francesa e eu entendi porque a Suiça é um país incrível, eles aprendem a ser felizes desde que nascem e honestos também. Lá quando eles terminam o equivalente ao nosso ensino médio aqui, eles passam cerca de um ano trabalhando e juntando dinheiro para fazer um GapYear, na verdade, a maioria dos países da europa faz isso, depois eles pegam a grana economizada e viajam pelo mundo, enquanto decidem o que querem estudar na universidade. Eles consideram  que uma pessoa que acaba de sair do ensino médio não tem muita noção do que fazer da vida, então o melhor é viajar, curtir a vida, fazer amigos e depois decidir. Ótima filosofia né. Eu falava sempre pra eles, muito fácil né? Lá na Suiça, eles dão auxílio-moradia/alimentação e até lazer para quem não tem emprego rs. Bom, é de fato um país incrível, mas se você, assim como eu, precisou trabalhar e estudar na realidade brasileira, não tem problema, você faz intercâmbio e aproveita a vida quando der, eu era a mais velha da escola, cada coisa no seu tempo. 

Tá Natália, mas o que eu faço de bom no Havaí? Os alunos faziam aula de surfe todos os dias, eu não fiz :( Eu morro de medo de me afogar. Sem vocação para sereia, talvez um dia eu tente. Eu estava no paraíso das trilhas. Lá, o que as pessoas mais fazem são trilhas. São as trilhas mais organizadas que eu já fiz. Tem controle de horário, guias, informações e as melhores vistas também. A primeira e obrigatória é a Diamond Head. No topo dessa trilha, você tem uma vista privilegiada da praia de Waikiki.

Diamond Head
O ônibus no Havaí é assim. Fofo né.

O ar condicionado é potente, eu levava até blusa e eles tem um sistema bem legal para quem anda de ônibus todo dia, eu comprei um bilhete por um preço fixo e baixei o aplicativo para conferir o horário e linhas de ônibus. Por favor, não comam no ônibus. Tem um aviso bem pequeno informando que é proibido mas eu não li e eu comia todos os dias quando voltava da aula. Até que um dia o motorista parou o ônibus e me deu uma bronca bem dada e eu nunca mais vou me esquecer. Eu fui e voltei de Diamond Head de ônibus também. Uma coisa impressionante é a quantidade de chinesas que fazem trilha com salto alto. Depois da vista maravilhosa, essa parte foi a mais chocante! Lá em Diamond Head tem um cantinho proibido, mas eu entrei mesmo assim...



Por nada na vida, deixe de conhecer North Shore, no inverno, as ondas por lá são gigantes (falou a surfista! rs). As praias lá são perfeitas e a cidadezinha de Haleiwa é sensacional. Quando eu voltar, quero ficar pelo menos uma semana por lá. Em Haleweia mora o Jack Johnson, lembram dele? Alguém dos anos 80 aqui? Pra quem não sabe, o Barack Obama também é havaiano. Tem foto do ex-presidente em várias lembrancinhas por lá. 
Eu tenho um fascínio por asas e eu descobri que as suiças também, elas ficaram quase 1 hora tentando encontrar esse grafite pra tirar foto. E depois de tirar 300 fotos ótimas para elas, elas tiraram essa bem torta e mais ou menos pra mim! 

Haleiwa
Lojinha em Haleweia
Dá vontade de comprar tudo, mas não comprem. Todas essas lembrancinhas você encontra no wallmart pela metade do preço. Compre tudo no Wallmart! Não compre no aeroporto, nem em lojinhas. Tudo no wallmart! Repitam como comigo: Tudo no Wallmart! 
Pôr do sol em Waikiki
Outra dica bem legal para assistir um pôr do sol é subir no topo do Koko Head Trail, é uma trilha de 1 hora, essa foi bem tranquila. Pela manhã estudos, na parte da tarde trilhas e praias. Eu gosto de trilhas e me concentrei nesse tipo de passeio. Quem não quiser andar de ônibus, pois alguns lugares são bem complicados pra ir de trasporte público, use o lyft ou uber. O Lyft funcionava bem melhor que o uber. E pra galera do ônibus, baixem o aplicativo TheBus, aqui em SP eu uso o Moovit, mas lá o TheBus era melhor!
Koko Head

Koko Head
Pra quem gosta de imersão cultural, tem o centro de cultura polinésia (Link aqui) e o templo de Laie! Eu fui, conheci, mas não voltaria, mas foi legal conhecer!
Polynesian Cultural Center
Hawaii Temple Laie
Pra quem gosta de Snorkel, visite Hanauma Bay!

Hanauma Bay
A praia da próxima foto, fica um pouco antes de Lanikai. Kailua. É linda! Depois de passar por ela, ao lado de Lanikai, tem uma trilha perfeita. Por favor, não deixem de ir. O nome da trilha é Lanikai Pillboxes!

Kailua Beach
Lembram do ataque em Pearl Harbor? Depois do ataque os Estados Unidos entraram oficialmente da Segunda Guerra. Lembram nada né.  Eu visitei a base naval e pra quem gosta de história, é um passeio interessante. Fica próximo de Honolulu e fui de ônibus. Tem um ponto em frente.



Além de Aloha, outra palavra que você escuta sempre é Mahalo, cujo significado é obrigado! O Havaí tem um mantra bem famoso também, o hoponopomo, nunca ouviu falar!? Dá um google e fique zen!
Hoje, ao escrever esse post me deu muita vontade de voltar. A viagem foi bem cansativa. Foram 6 horas até a Colômbia, depois mais 6 horas de Bogotá até Los Angeles. Dormi em Los Angeles e no dia seguinte, mais 5 horas até o Havaí. E na volta a mesma coisa. Cansou só de ler né? Acredite, valeu cada trecho. Na ida, eu viajei com a equipe masculina brasileira de basquete. Sentei junto com todos aqueles gigantes e ainda teve um pedido de casamento no mesmo voo. Não foi de nenhum jogador pra mim rs. Eu cheguei solteira no havaí :) 



É isso, mais uma vez, falei muito sem dizer tudo o que esse lugar merece, mas pra finalizar eu posso dizer que o Havaí é sim um paraíso. É tudo isso que falam e quando eu voltar não precisarei mais andar apenas de bicicleta e ônibus. Depois do havaí, eu aprendi andar de moto e agora eu tenho licença pra pilotar no Brasil e no mundo. Meu pai não gostou mas aceitou. Na próxima, ele vai na garupa comigo! 
Dizem que cada viagem a gente vai uma pessoa e volta outra. A gente troca a roupa da alma. O importante é alimentar sempre a alma e não precisar necessariamente de uma viagem pra isso. Como diria Sêneca, "nenhuma viagem pode defender-te de tuas paixões, raivas ou medos. De tua alma retira toda maldade. Se queres viagens agradáveis, cura aquilo que te acompanha". E como diria, euzinha aqui, seja uma pessoa positiva (e se você não acredita que ser otimista mude algo, eu garanto que ser pessimista deixa tudo pior :P). Cure a alma e a próxima viagem sempre será a melhor da sua vida. E isso eu aprendi lá. Mahalo Havaí! 



12/01/2018

Sobre o ouvir...

Hoje é sexta, então pode tudo no blog. Por isto estou passando aqui só pra compartilhar um pedacinho de um dos livros mais perfeitos que li na vida. Vocês já leram Ostra Feliz não faz pérola? Se sim, releiam. Não? Corra.



Com vocês, Rubem Alves!



"O ato de ouvir exige humildade de quem ouve. E a humildade está nisso: saber, não com a cabeça mas com o coração, que é possível que o outro veja mundos que nós não vemos. Mas isso, admitir que o outro vê coisas que nós não vemos, implica reconhecer que somos mais cegos... vemos um pouco, vemos torto, vemos errado.
Bernardo Soares diz que aquilo que vemos é aquilo que somos. Assim, para sair do círculo fechado de nós mesmos, em que só vemos o nosso próprio rosto refletido nas coisas, é preciso que nos coloquemos fora de nós mesmos. Não somos o umbigo do mundo. E isso é difícil: reconhecer que não somos o umbigo do mundo! Para se ouvir a verdade, isso é, para nos colocarmos dentro do mundo do outro, é preciso colocar entre parênteses, ainda que provisoriamente, as nossas opiniões. Minhas opiniões! É claro que eu acredito que as minhas opiniões são expressões da verdade. Se eu não acreditasse na verdade daquilo que penso, trocaria meus pensamentos por outros. E se falo é para fazer com que aquele que me ouve acredite em mim, troque seus pensamentos pelos meus. É norma de boa educação ficar em silêncio enquanto o outro fala. Mas esse silêncio não é verdadeiro. É apenas um tempo de espera: estou esperando que ele termine de falar para que eu, então, diga a verdade. A prova disto está no seguinte: se levo a sério o que o outro está dizendo, que é diferente do que penso, depois de terminada a sua fala eu ficaria em silêncio, para ruminar aquilo que ele disse, que me é estranho. Mas isso jamais acontece. A resposta vem sempre rápida e imediata. A resposta rápida quer dizer: " Não preciso ouvi-lo. Basta que eu me ouça a mim mesmo. Não vou perder tempo ruminando o que você disse. Aquilo que você disse não é o que eu diria, portanto está errado...".

Você conhece alguém que sabe ouvir?  Sem contraprestação pecuniária? rs Eu sim. O meu irmão Felipe. Ele pacientemente sempre me escutou e ele sabe realmente ouvir.
Eu ainda estou aprendendo. Com ele, com o Rubem Alves, com cada pessoa que fala muito e não diz nada, com as que pouco falam mas dizem tudo. Cada dia um pouquinho. Com cada um que cruza o meu caminho.
E vocês? 
Domingo tem mais post! Até :)
Bjs
Rubem Alves/Sobre o Ouvir/Do livro: Ostra Feliz Não faz Pérola

03/01/2018

Prateleiras Invisíveis


Oiiii
Feliz 2018 pessoal! Quem me conhece sabe que eu prefiro loja de materiais de construção a shopping e essa semana aproveitei para dar uma passeada na Leroy. Eu e meu ajudante Theodoro, afinal lá pode totó. Comprei prateleiras invisíveis para os livros e gostei bastante do resultado. Elas não foram suficientes, ainda têm muitos livros escondidos no armário, mas já deu para organizar a escrivaninha e deixar o quarto mais "clean" e moderninho. E ai? Gostaram? Quem não é visto, não é lembrado e agora tá tudo organizado!
Este é o primeiro post de 2018 e até que foi rápido. Nem demorei tanto para aparecer aqui. Tem foto do Theodoro para quem estava com saudades e esta foi só uma dica rápida e muito fácil de fazer. Cada prateleira custou R$30,00. Dessa vez meu pai furou pra mim. Ando preguiçosa, mas a sujeira, eu limpei :)


O segredo é este. Você coloca o primeiro livro e encaixa a capa nesse espaço abaixo da prateleira. Depois é só empilhar.

A marca de prateleira é esta aqui:


Por hoje é só e que todos vocês leiam muito, cuidem muito de vocês, dos lares e brilhem em 2018. Muita saúde e alegria e obrigada por acompanharem o blog.

Beijos